Thursday, December 28, 2006

Coisas que eu gostaria de fazer em 2007 mas não me parece

Deixar de fumar, de beber e começar a ir ao ginásio, já que estou a pagá-lo
Arranjar uma empregada doméstica
Levar a bea a horas ao infantário
Perder menos noites a assistir às televendas
E já agora descobrir o sentido da vida

Tuesday, December 26, 2006

Friday, December 22, 2006

Sou só eu (II)

que vejo gengivas sem dentes, pele sem elasticidade e ossos em maus estado, quando penso na velhice? É claro que depois vejo o Lobo Antunes na televisão e o Manuel de Oliveira no Bom Sucesso e isso passa-me. Por pouco tempo, mas passa.

Parece-me

que perdi o juízo

Tuesday, December 19, 2006

Tantos anos a acreditar

que até sou uma moça inteligente e dou por mim a ter sérias dificuldades em ajudar a minha sobrinha nos trabalhos de matemática da 4.ª classe.

Monday, December 18, 2006

Já não me lembro

o que me passou pela cabeça para criar um blog... ah, pois, é verdade, foi o "armanço".

Eu, bêbeda

isto sim, era um livro!

Friday, December 15, 2006

Convidados


Flopianos e ESJ




Padrinhos


Surpresas

calitella
máscaras

A ideia era

não resumir este mês ao dia do casamento, sim, porque eu sou uma pessoa inteligente e tenho muito mais em que pensar. No entanto, vejo-me na necessidade de mostrar ao mundo que os meus amigos são os melhores de todo o universo.
Não é possível, em poucas imagens, mostrar toda a gente. Por isso não fiquem zangados, esses, e os que aparecem sem autorização.

Tuesday, December 12, 2006

Não sei se é do conhecimento público

mas há gajas que não lavam as mãos depois de irem ao quarto-de-banho.

Monday, December 11, 2006

Os noivos e a princesa


O ideal seria ter aqui fotos de toda a gente, porque a festa foi o que foi muito por causa dos convidados. Mas o blog é meu e a exibicionista sou eu, portanto...

Não tenho é o talento, ou a lata, suficiente para estar aqui com grandes descrições. Posso dizer que mostrei as mamas e, pelos vistos, as cuecas. Foi lindo, pronto.

(pic by maf*)

Eu sou do tipo do Quintelas

(pic by maf*)
"só relativamente feia", mas neste dia senti-me a gaja mais gira do mundo. Só por isso vale a pena casar.



Friday, December 08, 2006

Uma semana depois

chega dizer que o dia do meu casamento foi perfeito? e quando digo perfeito, quero mesmo dizer PER-FEI-TO.

Tuesday, November 28, 2006

Eu não estou nervosa

só tenho o cabelo cheio de caspa e a cara a esfolar, nada de mais...

Monday, November 20, 2006

Quando vou à janela

à noite para fumar um cigarro, o peso da existência cai-me em cima. Até menires vejo passar à minha frente. Começo a ter medo daquela janela...

Friday, November 17, 2006

Sou só eu

quem está sempre à espera que alguma coisa aconteça, tipo 'something special'?

Thursday, November 16, 2006

Perturba-me

a racionalidade da Beatriz. Anda muito empenhada em provar a inexistência de fadas, duendes, pai natal e outras figuras do género. Um dia destes queria que eu ligasse a um pivot do telejornal para perguntar se o joão pestana existia. Para ela os jornalistas da televisão sabem tudo. A melhor de todas foi ter feito um desenho das duas a passear à noite, havia uma lua em vez do sol, com um pormenor surreal: a lua estava a babar-se. "Como tu, mamã, quando estás a dormir"...

Wednesday, November 15, 2006

Dou por mim a pensar (esta cabeça não pára)

que talvez não trabalhe tão pouco como isso. Como não tenho horários, obrigações contratuais, etc., tenho tendência a achar que a minha vida profissional é mais folgada do que a maioria das pessoas, mas afinal, ao que vejo, não é assim tanto.

Thursday, November 09, 2006

Pergunta

Valoriza-se mais o talento ou o esforço?

Wednesday, November 08, 2006

Hoje

cruzei-me com uma rapariga na rua e dei por mim a pensar: "tem mesmo cara de ser empregada numa loja". Fiquei assustada.

Friday, November 03, 2006

As desvantagens do casamento I

Não poder cortar o cabelo.

As vantagens do casamento I

Ter que pedir a certidão de nascimento e descobrir que o meu ascendente é balança e não escorpião.

Wednesday, November 01, 2006

Em dia de Todos os Santos celebra-se o dia dos finados

O 'ti' Avelino é o homem mais velho da aldeia, não parece. As velhas também já usam calças a notar-se os pensos da incontinência. O casal Gaspar e Fátima é ridículo. A Euridice continua estilosa. Uns choram os mortos recentes, outros reparam uns nos outros. Todos enfeitam as campas com as melhores flores, os melhores arranjos. Mais cedo, ou mais tarde chorarei outros mortos. Outros chorarão a minha.

Monday, October 30, 2006

No fundo de uma caixa

"VENEZUELA Caracas 17 de Julho 1978
FESTA DA NOSSA SENHORA DA SAÚDE"
Começa assim uma carta do meu pai à minha mãe, que por razões óbvias não vou transcrever.
O papel está amarrotado, mas em bom estado de conservação, as letras pequeninas bem visíveis e mais uma vez espanto-me que já tenham passado 20 anos desde que morreu.
Nos últimos parágrafos dirige-se aos filhos. A mim diz: "Carlinha meu coração umas Festas Felizes um abraço do teu paizinho e muitos Beijinhos Adeus Amor".

Friday, October 27, 2006

Do que gosto mesmo

é de me rir. E o 'me', aqui, faz toda a diferença.

Ainda a inveja

Não deixa de ser curioso que quase uma semana depois de levantar a questão, andem todos prá aí a falar do mesmo. Ele é o Ferreira Fernandes na Sábado, o Luís Filipe Borges no Revolta dos Pastéis de Nata. Deve ser o tal consciente colectivo.

Wednesday, October 25, 2006

A propósito de um comentário

lembrei-me dos sete pecados mortais, tal como aprendi na catequese (aquelas cantilenas em jeito de mantra eram demais):

1.º sobêrba
2.º abarêza
3.º luxúria
4.º ira
5.º gula
6.º imbéja (na minha terra não dizíamos 'imbeija', como no Porto)
e
7.º preguiça
Contra os sete pecados há sete virtudes
contrá sobêrba humildade
contrá abarêza liberdade (liberalidade, claro, mas ninguém se dava ao trabalho de corrigir)
contrá luxúria castidade
contrá ira paciência
contrá gula temperança
contrá a imbéja caridade
e
contrá a preguiça diligência

Friday, October 20, 2006

Já tinha dito

que me estava a tornar fascista? ah, o.k, era só para confirmar.

A inveja

é uma coisa que me intriga - antes de continuar devo dizer que é evidente que sinto inveja muitas vezes, ou algumas, vá.
Já ouvi várias vezes e de variadíssimas pessoas que a inveja é o maior mal deste país, mas nunca, nunca mesmo, ouvi alguém dizer que sim senhora, sou invejoso, pronto, é um defeito que tenho, há quem coma catotas do nariz, sei lá.

Wednesday, October 18, 2006

Há quem lhe chame maturidade

Eu acho que é o fascismo a apoderar-se de nós.
Antes acreditava que a políca (de uma maneira geral) era uma corja de ignorantes que não devia usar armas. Agora dou por mim a pensar que se os moços existem para manter a ordem devem fazê-lo e que matar alguém durante uma perseguição são coisas que acontecem.
Antes dizia que o Estado tem obrigação de zelar pelos interesses da sociedade. Agora digo que os cidadãos não podem estar à espera que a tutela lhes resolva todos os probelmas e que a sociedade civil tem que se mexer e acabar de uma vez por todas com o discursos do "tão coitadinhos que nós somos".
Antes dizia que não queria ler a bruxa da areosa. Agora apetece-me comprar todos os livros dela.

Monday, October 16, 2006

Acreditem

Não vale a pena dizer o que ocupa os meus pensamento. Trust me. Posso só acrescentar que vagueiam pela vida íntima da Câncio e do Sócrates (sim, quero lá saber das taxas de internamento e da carreira dos professores, interessa-me é se eles fodem, ou não); pelo melhor dia para ir à depilação e a quantidade de merdas que tenho para fazer para tornar a minha casa uma "home sweet home".
Bons tempos em que me preocupava com a pobreza e a ingnorância, ou o tratamento de águas resíduais e das lamas das ETARs e com os OGMs, claro. Ah, e a perda de biodiversidade.

Thursday, October 12, 2006

Ou é um daqueles dias

em que a febre do feno ataca violentamente as salas de cinema, ou o filme "Little Miss Sunshine" (Uma Familia à Beira de Um Ataque de Nervos) é profundamente comovente.

Wednesday, October 11, 2006

Estou em completo, total e absoluto estado de choque

Criança de cinco anos para mãe durante o jantar: "sabes mamã, o joel tem uma namorada que é a prima e pôs a língua no pipi dela e ela pôs a língua na pilinha dele, que nojo, já viste?" e a mãe, que já viu coisas dessas claro, mas nunca em crianças de cinco anos, fica verde, amarela e castanha, em estado de pânico, a fazer mentalmente uma ronda pelos infantários mais próximos para a mudar de escola (tudo numa fracção de segundos), responde: "ai é? que coisa mais estranha!! (como se ela tivesse a contar uma banalidade qualquer)". Mas a coisa piora: " e o joel disse que já tinha visto pessoas grandes a fazer isso (volta a repetir a história do pipi e da pilinha, mas com o pormenor de que fazem xixi na boca - e isto deve ter sido ela a acrescentar, porque afinal é para isso que servem as ditas anatomias, pelo menos para ela) e depois começam a fazer ginástica". E a mãe, ainda verde castanha e amarela, continua: " ai é, que coisas estranhas que ele vê na televisão". "Pois é", diz a criança e acrescenta: "Acho que foi no telejornal".
Ora, isto tudo teria muita piada, daquelas de uma pessoa se atirar para o chão, se tudo não se tivesse passado há uns minutos atrás, aqui em minha casa, com a minha filha.

Monday, October 09, 2006

Hoje recebi um postal do Japão

e fiquei muito contente. Afinal vale a pena aguentar certas coisas para ganhar uns trocos com a perspectiva de um dia vivenciar experiências como as que estão no dito postal. Arigato.

Tuesday, October 03, 2006

Soltas

"E depois aconteceu a terra"* foi a melhor explicação que ouvi até hoje sobre o aparecimento do planeta.

Gostava de ter um terminal ligado ao cérebro quando estou a dormir. Tenho a impressão que já fiz grandes descobertas que podiam ter muito interesse para a humanidade, mas depois não me recordo.

Queria muito rever a Candy Candy

*Bea dixit

Wednesday, September 27, 2006

Polémico, muito polémico

Se penso logo digo, cá vai. Tenho para mim (lá está, gosto da expressão, que é que se há-de fazer?) que os pais de desunham, esfolam e debatem-se com a educação dos filhos, não só porque querem fazer deles melhores seres humanos, mas porque querem ter crianças bonitas e bem comportadas para mostar aos amigos. Tenho dito.

Monday, September 25, 2006

Aqui está a prova

de que eu também posso vir a ser uma mulher glamourosa, cheia de estilo, sapatos maravilhosos e escrever para o New York Times.

Para o Joakim

Há um desenho, com montagens e tudo, que pelos vistos não pode ser enviado por correio. A mensagem deverá ser escrita por mim: "Para o Joaquim da Beatriz. Gostei muito de te conhecer". Nem quero saber porque se terá lembrado do amiguinho depois de ver a Noiva Cadáver de Tim Burton... quatro vezes.

Parabéns

Vanessa.

Sunday, September 24, 2006

Incongruências IV

Nascemos, crescemos, atravessamos a vida com mais ou menos certezas, com mais ou menos dificuldades, com mais ou menos tristezas, mais ou menos alegrias. Depois morremos. Para quê? pergunto eu. Ora, porque sim, respondo eu. É assim como o coelhinho que foi com o pai natal ao circo.

Thursday, September 21, 2006

É de merda, mesmo

Há dias em que me sinto um autêntico cagalhão a boiar no mar. Mas podia ser pior, podia ser só um cagalhoto.

Tuesday, September 19, 2006

Ocorreu-me

que numa altura em que a minha filha está indecisa entre ser médica, presidente da república, polícia, ou as três coisas, eu ainda não sei o que quero ser quando for grande.

Friday, September 15, 2006

Pois claro

"Se há homossexuais e bissexuaias, não há razão lógica para não haver assexuais"*
É verídico. Há gente que vive sem sexo, não porque lhes é imposto, mas simplesmente porque não querem. Não lhes apetece, pronto.

*in revista Sábado de 14 de Setembro

Tuesday, September 12, 2006

Ando

assim com a cabeça metida num balde cheio de sardinhas. Cada vez mais me convenço que químicos e álcool estão para a sanidade mental, como o leite está para o café. O leite simples bebe-se, mas saber bem, sabe a meia de leite.

Pesadelos

Costumo ter duas variantes do habitual pesadelo de tentar gritar e a voz não sair. Um é a correr. Por mais que me esforce só consigo correr em câmara lenta, tal e qual como se estivesse na lua, não que alguma vez tenha exprimentado, mas tenho essa impressão. Outro, mais comum, é a tentar ver. Quero à viva força abrir os olhos, mas a intensidade da luz é tanta que não consigo. Fico cheia de dores tal é o esforço. Como naqueles filmes em que aparece um ovni. Curioso! só agora me apercebo que ambas as experiências têm a ver com realidades extra planetárias. Queres ver que já fui raptada por aliens?

Sunday, September 10, 2006

Ia dizer

que gostava muito de ouvir o Caetano cantar "Cucurrucucú Paloma". Até estava a pensar por um link com a música e tudo, mas não fui bem sucedida. Paciência. Tenho para mim (é, gosto da expressão) que mais cedo ou mais tarde vou descobrir o meu verdadeiro talento. É que assim de repente não me lembro de muitas coisas em que tenha sido, de facto, bem sucedida.
Voltando ao Caetano, vê-lo assim a cantar, com os olhinhos fechados, o sussuro carpido só posso concordar com o outro moço: "este caetano me pone los pelos de punta".

Thursday, September 07, 2006

Há qualquer coisa de errado

com a Natasha Kampusch, a rapariga que foi raptada em criança e que fugiu já com 18 anos. Não sei se tem a ver com a síndrome de Estocolmo, ou com a improbabilidade de acontecer uma coisa destas (não sei qual é a percentagem de crianças sequestradas que regressam, mas deve ser mínima), sei é que acho isto tudo muito estranho. Vou investigar. Ah, não, afinal não posso, tenho mais o que fazer.

Wednesday, September 06, 2006

Uma pergunta

Nota-se muito que deixei os comprimidos?

Friday, September 01, 2006

Se eu escrever

num daqueles cartões dos caixotes de papel: VOU PAGAR 343,28€ DE IMPOSTOS E FICAR COM 446,72€ DE SALÁRIO. O MEU NOIVO BATEU COM O CARRO E TEVE QUE PAGAR 190€ A UMA RAPARIGA COM WONDERBRA. TENHO QUE PAGAR A PRESTAÇÃO DA CASA E DUAS MENSALIDADES NO INFANTÁRIO DA MINHA FILHA. E me sentar numa rua qualquer do Porto, será que alguém se compadece de mim e me dá uma esmola? Eu sei que há por aí uns gajos sem pernas, ou braços, que não comem não sei há quantos dias. Outros com crianças que querem leite e mais não sei quê, mas quem é que acredita nisso? tenho para mim que o meu cartão é bem mais plausível...

Alguém conhece

uma forma eficaz para evitar que os bicos das mamas fiquem espetados cada vez que entro num sítio com ar condicionado?

Wednesday, August 30, 2006

Do noivo

Ele não faz comentário ao meu blog. Decidi perguntar-lhe o que pensa do post anterior e a resposta foi: "é o teu exibicionismo-choque como arma de sedução, de atracção". Não é giro, o meu rapaz?

P.S a transcrição foi devidamente autorizada, como é evidente.

Desafio aceite

apesar de jamais poder competir com estas hilariantes confissões.

1. Sofro de uma irremediável dor de cotovelo das pessoas que têm uma vida organizada. Aquelas que trabalham, vão ao ginásio, fazem jantares para os amigos semanalmente e levam os três filhos ao piano, violino, natação, tenis e taekwondo, e os cães a cagar nos passeios.

2. Tenho a mania que sou uma pessoa interessante só porque sou desorganizada, insatisfeita, impossível de aturar e por ir à psiquiatra.

3. Não sei gerir o dinheiro

4. Acontece-me com alguma frequência ser atingida por merda de pássaros

5. Sou a única pessoa que conheço que gostava de ter mais pêlos na zona púbica

6. Não sei que raio de impulso me leva a revelar ao mundo que gostava de ter mais pêlos naquela parte, ou que perdi a virgindade aos 20 anos.

Tuesday, August 29, 2006

Adeus Camaradas*

Foram três anos, com algumas interrupções, a partilhar dois andares nos Pinhais da Foz. Confesso que vivi** momentos gloriosos como as duas festas de despedida, uma de reentrada, almoços e outras festevidades. Pelo meio também trabalhei, claro, mas há que admitir, é do convívio que vou sentir falta. Houve alturas em que pensei que poderia fazer parte dessa comunidade de arrogantes, mas não vale a pena chorar sobre o leite derramado***. E porque mais vale um pássaro na mão do que dois a voar****, troco o 1.º andar dos Pinhais da Foz, pelo 2.º da Gonçalo Cristóvão.
Não era minha intenção que isto parecesse aqueles e.mails que a malta do marketing manda ao pessoal a despedir-se com a treta dos novos projectos que vão agarrar, blá, blá, blá, mas, enfim, é o que se pode arranjar.


*adaptado do romance "Até Amanhã, Camaradas" de Manuel Tiago e copiado de vários títulos de blogs aquando da morte de Álvaro Cunhal
** retirado do romance de Gabriel Garcia Marquez
***sabedoria popular
****idem

E por falar em principezinho

"As pessoas queriam falar com as galinhas, mas elas não sabiam falar inglês. Havia uma galinha que pensava que falava inglês, mas não falava. As pessoas estavam a ficar furiosas e chamaram os maus para matar a galinha".*

*sonho da bea

Sunday, August 27, 2006

O sentido da vida

O primeiro dente da bea, que nasceu precisamente há quatro anos e nove meses, ficou hoje preso na pêra que comeu no jardim de Serralves.

Saturday, August 26, 2006

Perdi a paciência

para o Saramago. Já não acho piada aos quilómetros de frases pejadas de ironia, sarcasmo e crítica à sociedade em geral e modernidade em particular. Tenho que comprar mais livros de Alfredo Bryce Echenique, ou melhor descobrir autores que me façam chorar. Como chorei com o "Principezinho", ou "A Origem", da Graça Pina de Morais, ou ainda, mas recentemente, com o "Quem ama não dorme", um livro que desapareceu cá de casa, cujo autor não me recordo do nome . Em vez disso entedio-me com "As Intermitências da Morte"...

Tuesday, August 22, 2006

Se ao menos

tivesse feito uma cadeirita do curso de sociologia, podia sentir que o dinheiro das propinas tinha sido bem aplicado.
Se não roesse as unhas tinha umas mãos mais bonitas.
Se cuidasse da casa talvez convidasse mais vezes os amigos para lá ir.
Se não tivesse dois gatos, uma neurótica e um obssessivo-compulsivo, escusava de carregar com sacos de areia.
Se o Crómio não me tivesse oferecido um CD, não precisava de o ouvir vezes sem conta.
Se a minha querida filha não tivesse o dom da argumentação, perdia menos saliva.
Se o meu noivo não tivesse saído de casa, agora não tinha que voltar a arrumar os livros e a arranjar espaço para mais um aspirador, máquina de café, etc.
Mas nesse caso que raio de piada tinha a minha vida?

Monday, August 21, 2006

Ahahahahahahahahahahahahaha

Você é “Too Shy” dos Kajagoogoo (1983): O seu objectivo é passar despercebido. Se olham para si, fica em pânico. Se falam consigo, fica automaticamente sem palavras. Você tem um lado sensível e altamente interessante mas que dificilmente consegue partilhar com os outros

(estes gajos é que sabem, eu sempre disse era tímida, mas ninguém me leva a sério...)

Friday, August 18, 2006

Sou contra a violência


em geral, desde a palmadinha com fins educativos, até aos estaladões, murros e outras manifestações de virilidade. Sou contra não por razões filosófico-pacifistas mas porque sei que se tivesse uma arma na mão, num dia como hoje, matava gente. Matava assim como se nada fosse. Pum, e agora vais dizer que te esqueceste, grande vaca? e a seguir ainda lhe cuspia em cima.

Thursday, August 17, 2006

Haverá

coisa mais decadente do que cortarem-nos a electricidade? O melhor é vender já o apartamento, montar uma cabana, levar para lá o amor e...depois logo se vê.

Monday, August 14, 2006

Das duas uma

ou não ando a pensar, ou não ando a dizer.

Thursday, August 10, 2006

Eu sou das

que tem os pés giros. Teoria tirada daqui

Wednesday, August 09, 2006

Descobri

uma forma de não levar os problemas tão a sério. Imagino-me daqui a dez anos a olhar para este momento e a não me lembrar da angústia que a instabilidade profissional me causa. Pior (ou melhor), provavelmente vou achar que era muito feliz, a Bea só com 5 anos, o casamento à porta, só precisar de um dia para curar ressacas (imagino que daqui a dez anos demore mais), amigos giros e divertidos para beber uns copos, ver cinema, etc.
Nesse tempo em que vou olhar para agora e ver como era feliz, é claro que me vou sentir infeliz. É a filha que é adolescente, os amigos que têm filhos pequenos (ainda bem que também tenho amigas com os filhos pequenos agora), o trabalho que não me permite tirar férias, etc.
Sim, eu sei que não é a descoberta do ano. Já o povo, essa enciclopédia do saber, diz que o tempo tudo cura. Mas neste caso o tempo não é a cura, é o instrumento, anda-se com ele para trás e para a frente e, posso garantir, para além de divertido é bastante clarificador.
Basta recuar àquele momento em que imaginávamos como seríamos dali a uns anos. E, voilá, já somos. Aliás, eu até já passei, porque nunca me imaginei para lá dos 30.

Sunday, August 06, 2006

Cinco meses

depois consegui arrumar o roupeiro. Mais vale tarde do que nunca.

No taxi

É raro não encontrar taxistas cheios de vontade de dar opiniões ou falar sobre a vida, mas fiquei verdadeiramente espantada com o taxista sindicalista que apanhei um dia destes. Ele queria, porque queria, que eu pusesse em tribunal as minhas entidades patronais. "A menina guarde esses talõezinhos todos", dizia ele, "isso prova que usa os meios da empresa para trabalhar, por isso eles são obrigados a pô-la nos quadros". No fim da corrida ainda pensei que ia ouvir "um força camarada", ou "unidos jamais seremos vencidos", mas ele limitou-se a um "boa sorte e bom trabalho". Afinal, a China já não é o que era e até o Fidel está a morrer, por isso não exageremos...

Wednesday, August 02, 2006

A garganta também conta

Parece-me que sou daquelas pessoas cuja voz não corresponde minimamente ao aspecto físico. Quando calha conhecer alguém depois de falarmos ao telefone, acho sempre que olham para mim com um ar de espanto. Já me disseram que me tinham imaginado loira. É claro que não vem nenhum mal ao mundo por causa disto, mas se a minha voz for melhor do que eu tenho um problema, um problema grave, porque eu odeio, com ódio verdadeiro, falar ao telefone...

Tuesday, August 01, 2006

Engordei

Estamos em Agosto, por isso há que pensar em futilidades. Um quilo a mais distribuído pelas coxas, barriga e mamas.

Thursday, July 27, 2006

Tenho andado

tipo barata tonta, não sei para onde me virar. Para já posso concluir uma coisa: isto de ter um noivo obriga-me a deslocar ao vidrão muitas mais vezes...

Tuesday, July 25, 2006

Já tinha dito

que não sou minimamente coerente. Mais uma prova: VOU CASAR.

Monday, July 24, 2006

Éramos oito

na Costa Nova. Brincámos, bebemos, comemos, rimo-nos até às lágrimas. Uns tinham sono, outros estavam tristes. Todos temos manias como gostar de mandar, de comer iogurtes com colheres de sopa, tirar catotas do nariz, mentir, deixar os pacotes de bolachas abertos para ficarem moles e sei lá que mais. Temos todos tiques a comer, o mais extravagante: lamber o indicador e o polegar ao mesmo tempo. Temos estrias e dores nas mamas. Uns gostam de leite magro, outro de meio gordo. Sabe tão bem partilhar um fim-de-semana com amigos! Eu regressei mais cedo e apetecia-me chorar no comboio.

Friday, July 21, 2006

...

Alguns amigos meus acham que eu tenho a mania que sou maluca, só porque é bem parecer-se louco. Como se eu fosse em modas!!! E logo eles que seguem todas as tendências actuais, desde as vestimentas, passando pela música, até aos sítios in. Sim, tu loira mais-que-inteligente, esses trapinhos que usas todos os dias são para pareceres o quê? e tu, rapaz de marte, rapaste o cabelo porquê? E esta armada em saudável?
Agora comentem, vá...

Thursday, July 20, 2006

Mais uma guerra

e eu a folhear os jornais e a ler os títulos de libaneses e israelitas que morrem, a ver se chegou um e-mail importante, a tentar tirar o fundo do msn - a estátua da liberdade, que foi lá parar não sei muito bem como - e a continuar a folhear os jornais. Por que raio é que uma GUERRA aqui a quatro mil quilómetros não nos paralisa os membros, nem nos tira o sono?

Tuesday, July 18, 2006

E se de repente

acordamos às 8h da manhã, depois de cinco horas de sono, cheias de energia e com vontade de mostar ao mundo que somos boas, muito boas, isso é do calor, ou reflexo de uma bipolaridade latente?

(mais cedo, ou mais tarde vou deixar de pensar em questões relacionadas com o foro psiquiátrico. Até lá, olhem, paciência!)

Será?

Para Nietzsche "o desejo, o estímulo, a voluptiosidade...é o que nos escraviza! a ralé desperdiça a vida como suínos alimentando-se na vala do desejo".

Thursday, July 13, 2006

Há que dizê-lo

com frontalidade. Primeiro foi Deus. Afinal é fácil viver com a ideia de que nascemos por vontade Dele, que viemos ao mundo servir um propósito e seja qual for o resulatado temos à nossa espera outra vida, que ninguém sabe dizer como é, mas ao que tudo indica é uma recompensa para os infelizes nesta e um martírio para os que não vivem de acordo com a moral e bons costumes. Depois foi o induísmo. Aquela coisa de olhar para dentro de nós, esticar os músculo no yoga e viver de acordo com a filosofia Zen parecia-me bem. Mas gosto muito de fumar e beber. Daí saltei para a psiquiatra. Cheguei ao estádio em que matei Deus, qual Nietzsche do século XX, e mergulhei nos conhecimentos da psique humana. A seguir foi o astrólogo. Não podia continuar a aceitar conhecimentos tão racionais para coisas tão complexas como a vida. Por fim, e por acaso, uma cartomante.
Depois voltei à psiquiatra. Sou uma rapariga racional.

Sedução

Pronto, sou uma gaja fácil!

(não se enervem setôras(es) de português, eu sei que não se começa uma frase com o item lexical, pronto, mas eu gosto pronto, o que é que se há-de fazer?)

Tuesday, July 11, 2006

Adoro

aeroportos, sobretudo quando não estou a viajar. Nunca perco a oportunidade de ir buscar alguém que chega de viagem, porque a felicidade estampada na cara das pessoas é muito bonito de se ver. Ontem lá fui toda contente para o aeroporto, a horas tardias, com a criança que estava louca de saudades do pai. Enquanto esperava que o avião aterrasse detive-me nos rostos das pessoas. A agitação, as cabeças esticadas para a porta das chegadas, o andar de um lado para o outro e os sorrisos, tantos sorrisos!!! eu também teria sorrido mais se a bea, que estava competamente histérica, não se tivesse espetado no meio do chão e partido um dente.

Monday, July 10, 2006

Mamã

mamã, mamã, mamã...rinhau, miaaaau, miau...asuka junior nunca vais apanhar a saint teil...finalmente abriu-se a porta do destino...abram alas pró nody, nody no seu carro amarelo...mamã, mamã, mamã...toc, toc, toc, spalsh, buaaaaaaaaaaaaaaa...oliver, benjy são os magos da bola, benjy oliver...aiiiiii, sai daqui viriato...mamã, mamã, mamã...

SOCORRO. TIREM-ME DAQUI.

Friday, July 07, 2006

Esta rapariga

marchava. Vi poucos episódios, mas já deu para refutar uma das minhas teorias. Afinal as lésbicas também dão rapidinhas!

Thursday, July 06, 2006

Estou baralhada outra vez

Não sei como é que me sinto capaz de odiar tanto um país, por causa de um jogo de futebol. Mas é ódio mesmo!

Wednesday, July 05, 2006

It's all about money

Tenho a certeza absoluta que não seria uma pessoas feliz se tivesse muito dinheiro. É daquelas minhas certezas sem um argumento de peso que o comprove, como tenho a certeza absoluta que nos momentos decisivos fiz as escolhas certas, por exemplo.
Mas há que admiti-lo, andar a contar os trocos, não saber se no fim do mês me vão pagar, é muito deprimente (pronto mãe, mais uma vez tens razão, nunca mais digo nada sobre a tua vida girar em torno do dinheiro). É que nunca conheci ninguém que variasse tanto de humor em função dos honorários (odeio esta palavra) como a minha mãe. Sempre que lhe telefono pergunta: "precisas de dinheiro, é?"
- "Não mãe, claro que não, por favor quero lá saber de dinheiro" (pois sim, pois sim, daqui a pouco vêm-me cortar a luz mas que é que isso interessa? Desde que possa ir jantar fora...).
Vida alegre a fato roto, não era pai? Acho que sou como tu.

Tuesday, July 04, 2006

Estava aqui a pensar

que é muito provável eu não ser tão boa pessoa como muitas vezes acho.

Pessoas estranhas III

Eu

Sunday, July 02, 2006

Esta

coisa de queremos estar onde não estamos, ser o que não somos, querer o que não temos não passa com idade pois não? boring!!!!

Thursday, June 29, 2006

Sim, é verdade


acho que os filmes pornográficos têm a sua piada.
(não aceito comentários às teias de aranha)

Wednesday, June 28, 2006

As pessoas

que têm um blog, ou têm-se em muito boa conta, ou não regulam bem. No meu caso inclino-me mais para a segunda hipótese.

Tuesday, June 27, 2006

Parece

que afinal existe o ponto G e não é nada mais nada menos do que a próstata feminina. Quando esse ponto é atingido as mulheres ejaculam. Catherine Blackledge esplica tudo no livro A História da V. As coisas que se aprendem!!!

Pessoas estranhas II

A senhora brasileira que se sentou ao meu lado no comboio, por obra do destino, segundo a própria e que vivia com duendes. Pelos vistos tinha sido queimada por bruxaria noutra vida.

Pessoas estranhas I

O homem elefante que estava a pedir no Rossio. Muito pior do que o do David Lynch. A cara era uma massa disforme vermelha, onde só se distinguia um olho e um canto da boca.

Incongruências III

As pessoas especiais da minha vida não sabem o quanto são especiais para mim.

Sunday, June 25, 2006

Estou

muito baralhada. Não consigo perceber esta sensação de felicidade por causa de um jogo de futebol.

Friday, June 23, 2006

Ora bem

esta coisa dos genes é bem engraçada. Quando eu tinha a idade da pequena cá de casa, talvez mais velha, tinha um medo horrível da noite. Não era do escuro. Era da noite, mesmo. Como se a lua trouxesse todos os monstros, fantasmas, anjos e demónio atrás. Isso passou-me, mais ou menos, pronto, mas agora tenho os monstros, fantasmas, anjos e demónios dela. É sempre à noite que ela, a pequena cá de casa, faz as perguntas/comentários/constatações mais complicadas. Ontem foi: "Quem me dera não existir, assim não tinha que morrer. Eu não quero morrer ouviste? tu por acaso queres morrer?". Eram onze da noite e por isso limitei-me a um "não penses nisso agora".

Thursday, June 22, 2006

Gosto


mesmo muito de beber

Lembro-me

de achar uma delícia ver as minhas amigas desenharem as letras quase sem levantar a caneta e acrescentarem no fim de cada palavra os tracinhos dos "tês" e os pontos dos "is".

Wednesday, June 21, 2006

Depois

De Goa fui até Cabul e ao inferno taliban descrito por Yasmina Khadra. Agora estou indecisa, não sei se vá até Moçambique com Mia Couto, ou à Indonésia com Pramoedya Ananta Toer. Cada um viaja como pode.

Monday, June 19, 2006

Incongruências II

O que será que nos leva a partilhar a mesma casa, e muitas vezes a mesma cama, com animais que andam com o olho do cu à mostra?

Incongruências I

Segundo a psiquiatra as minhas análises ao sangue e urina podiam ser encaixilhadas de tanta saúde que transbordam. Pena é a saúde mental não corresponder (isto digo eu, que não lhe pago 75€ por consulta para me dizer que não bato bem da bola). Mas de ouvir que sou quase virgem outra vez não me livrei.

Saturday, June 17, 2006

Às vezes

fico mesmo farta de mim.

Friday, June 16, 2006

Podia ser pior

Você é a Selecção de Portugal:Você até tem um certo jeito, e de vez em quando faz um brilharete; mas geralmente anda um bocado à nora. A organização não é o seu forte, você confia em absoluto no instinto. Você é pão-pão queijo-queijo: tudo ou nada! Acha sempre que vai conseguir ter tudo, mas, aqui entre nós, ou fica lá muito perto ou dá uma monumental barraca.
http://radiocomercial.clix.pt/destaques/quizz/futebol/index.asp

Se

vou no autocarro a ler e saio umas paragens à frente, porque ia distraída, a culpa é de Richard Zimler e do livro "Goa ou o Guardião da Aurora".

Thursday, June 15, 2006

Na próxima vida



vou ser feliz

Quem

estiver a pensar ter filhos, deve ter em conta que uma ida ao cinema, uma caixa de pipocas das pequenas, uma água e dois gelados ficam por 15.15 €, com cartão de estudante.

Wednesday, June 14, 2006

A minha filha

continua a insistir que é muito infeliz. Pelos vistos os pais são duros com ela, não tem ninguém com quem brincar, não foi ao aniversário do panda, quer saber o que é um safari, tem cinco dias de escola e SÓ dois de fim-de-semana, nunca mais lhe compro um tecido para fazer o vestido da Bela e uma série de outras desgraças. Já lhe expliquei que pelo menos não tem que preencher a inscrição para o infantário, mas não a convenci...

Não basta

chegar a casa e ter a banheira cheia de merda dos gatos, ainda tenho que levar com as mesmas três lâmpadas fundidas, a eterna pilha de roupa por passar a ferro e o cilindro avariado novamente. Onde é que andam os duendes e as fadas para nos resolverem estas questões?

Tuesday, June 13, 2006

Devo

dizer, não sem alguma preocupação, que estou perita em acender cigarros no fogão de vitrocerâmica. Por causa disso cheguei a algumas conclusões: primeiro, é melhor ter cigarros e não ter fósforos do que o contrário e segundo, há gajos que inventam cada coisa!!

Não

que isso interesse, mas não me tem apetecido postar. Daqui a pouco lembro-me de qualquer coisa para dizer...

Friday, June 09, 2006

Quando

era pequena ia com a minha mãe lavar roupa ao tanque público e todas as mulheres proibiam o meu irmão de fazer o mesmo, porque depois não lhe crescia a barba. Via as mulheres subirem a minha rua a acartar cântaros de água à cabeça encaixados em rodilhas num exercício de equilibrismo que me fascinava. Carregava e puxava carrinhos de mão com sacos de trapos para a minha mãe tecer no tear. Passava horas a cortá-los em fios e via os tapetes aparecerem na teia. Ajudava a dar a "envolta" e aprendi rapidamente a emendar os fios que rebentavam. Deveria ter uns sete, oito anos. Isto tudo para dizer que gostava que quando escrevessem notícias sobre meninos que cosem sapatos da Zara conhecessem outra realidade para além da exploração infantil e do trabalho escravo a que muita gente está sujeita hoje em dia. É que entre trabalhar e ganhar uma miséria, ou ter que mendigar é melhor a primeira. Por muito que doa. Por muito que seja injusto.

Thursday, June 08, 2006

Marie Darrieussecq

diz no livro O Bebé:
"Tive um filho porque sabia que isso me daria prazer.
Tive um filho porque encontrei este homem.
Tive um filho porque sou pela reprodução das pessoas decentes.
Tive um filho porque me tinham dito que o não teria.
Tive um filho porque a vida é melhor que nada."

Eu, se tivesse que me justificar, ficava três horas à volta das melhores palavras para explicar porque sempre quis ser mãe. Deve ser o que distingue os escritores dos não escritores. Os primeiros têm as palavras nas pontas dos dedos, os segundos não conseguem tirá-las do cérebro.

Wednesday, June 07, 2006

Às vezes

dou por mim a pensar se o facto de escolher para passwords, códigos de acesso e afins, nomes de comida e datas de guerras, terá algum significado especial.

Tuesday, June 06, 2006

Eu

que sempre recusei a ideia de ter um blog, cá estou. Não sou minimamente coerente.