Friday, March 09, 2007

Sou só eu (III)

que me sinto numa permanente situação provisória?

13 comments:

sirob said...

não, acho que mais de metade dos que conheces se sentem assim. ou é a casa, ou o carro, ou o trabalho, ou o cabelo, ou as unhas, ou o raio que parta

Inês said...

No meu caso, é a casa.

pal said...

NÃO!!!!!!!

maf* said...

à parte das questões financeiras e profissionais - às quais provavelmente te referes - as situações provisórias podem ser bem mais motivadoras do que as certezas rotineiras... se bem que eu acho não penso assim, ehehehe ;)

porque é 5ª feira said...

e do fundo do baú das frases feitas: A vida é provisória!

sirob said...

(quem é a 5ª feira? sou só eu que não conheço?) e desculpa calita, por ser no teu blog, pal, gostei tanto desse NÃO!!!!!! que nem sabes

calita said...

jx, explica lá isso da 5.ª feira à sirob :D Espera, se calhar deveria ser eu...

calita said...

não, maf, refirmo-me a tudo. É o pequeno almoço da criança (que deixou FINALMENTE o biberão) enquanto não se habitua à rotina; são os constantes candeeiros/quadros/caixotes/sacos-de-tralha que não estão no sítio; os jantares saudáveis que nunca são a regra; as noites só a dois à espera de tempo, disponibilidade, whatever; a dieta xpto; etc, etc, etc.

dora said...

Eu acho que esse sentimento faz parte da existência. Desde a casa ao casamento, às dietas e ao ginásio, até às convicções, trabalho e sentimentos. Mesmo quando pensamos que temos estabilidade em alguma coisa, acho que simplesmente saltamos de provisório em provisório.
E eu gosto que a vida seja assim, um refresh permanente,

pal said...

sirob: :)

(e agora ia escrever dirigido à inês por causa do que a dora disse, mas apaguei tudo! melhor jogar pelo seguro! ;;;;;;;DDDD)

boneca de trapos said...

eu acho que nós precisamos de ter a ilusão de que as coisas estão para ficar, para nos sentirmos mais seguros. no entanto, é precisamente o seu carácter provisório que nos mantém activos e de cabeça sã... O facto de esperarmos que o dia de amanhã possa trazer algo de novo (mesmo que provisório) leva-nos a definir objectivos mais ambiciosos, logo, a lutar pera sermos mais felizes.

CAP CRÉUS said...

Eu também me sinto assim, a toda a hora....
Sobre tudo!
Hoje está tudo bem, amanhã já não, daqui a nada já passou, mas daqui a 3 horas está tudo mal outra vez!
Porra!!!

nocas said...

ó amiga, acabaste de definir o meu estado de alma... sinto que estou sempre em trânsito, o processo de, a caminho de, a trabalhar para, e a check list de coisas para fazer nunca acaba...
é bom saber que não estou sozinha...:-)